A Glória de Deus é nada mais nada menos que uma poderosíssima radiação

 

Por Cimberley Cáspio

Pastores evangélicos estão se suicidando como se fosse uma epidemia, e os argumentos são vários. Muito embora o pastor ou pastora sejam seres humanos expostos a todas as mazelas que geram sofrimento profundo em qualquer pessoa, podendo realmente chegar ao suicídio, é importante sabermos um pouco mais sobre essa função, que na verdade não é uma função normal como funcionário de uma empresa ou instituição pública.

O sacerdócio real, verdadeiro, é uma função sobrenatural. E não é qualquer pessoa que pode ser um sacerdote. Há leis naturais para que um homem,ou, uma mulher possa exercer o sacerdócio. E essas leis não são respeitadas. E cada instituição religiosa cria regras próprias para ordenação do sacerdote sem o devido cuidado a que isso possa levar. E assim, vão ordenando pessoas apenas pela regras institucionais do templo, e, às vezes, até mesmo pelo status financeiro do membro, posição social, como por exemplo, médico, advogado, político influente, etc, e candidatos aprovados nas regras da instituição, onde começam como obreiros, e, dependendo dos resultados, como por exemplo, aumento do número de membros e receita, são promovidos a pastores, e na sequência, promovidos a bispos.

Se os resultados forem o contrário do exigido pela cúpula, o pastor é transferido para igrejas em lugares de pouca ou de nenhuma expressão. Esquecido, não mais fará parte de reuniões, ou até mesmo, encontros de entretenimento entre seus pares de melhor rentabilidade.

Com algumas exceções, no geral, não há valorização da alma, nem cuidado e atenção contínua, seja ao membro, seja ao pastor. Saber de suas necessidades, dificuldades, e ajudar naquilo que a alma humana precisa, tanto espiritual, como material.

O Senhor Jesus Cristo disse que o levantar é de Deus e o cair é do homem. A queda pode acontecer por n motivos e às vezes, o próprio homem impele o seu companheiro à queda. Olho grande, inveja…São as maiores causas de alguém querer derrubar o outro, e isso ocorre também com muita frequência na comunidade pastoral. Claro que não podemos esquecer que o apelo sexual é muito forte, seja no interior da igreja ou fora dela, e se desprezar o poder do WhatsApp e do Facebook…um abraço, já foi, já era, fundo do poço. E depois que foi pro fundo do poço, dificilmente haverá um ser humano para lançar à corda e puxar para cima. Se o próprio Deus não fizer isso, pode dar adeus à vida. Há exceções? Sim, mas são raras. Dá pra contar nos dedos.

Bem, segundo a Lei Natural, a Lei de Deus, o candidato a pastor tem que ter no mínimo 30 anos, além do chamado, ou vocação sobrenatural. E antes de estar à frente do povo de Deus, deve ficar isolado por 7 dias em um lugar afastado e completamente desligado do mundo. Somente acompanhado por uma pessoa que o atenderá em suas necessidades básicas. Ali, durante esse período, se dedicará a orações e leitura da Bíblia. Terminado o período de isolamento, se determinará à missão que lhe foi atribuída.

No caso de mulher, a Lei Natural, a Lei de Deus, determina que a idade mínima para essa função seja de 60 anos e viúva de um casamento. Isso quer dizer que, a função é vetada à mulheres casadas e viúvas por mais de uma vez.

A função real do sacerdote exige estar 24 horas por dia debaixo da Glória de Deus, e Glória de Deus significa fogo no sentido literal da palavra. E devido o perigo extremo que a Glória de Deus representa ao homem, as regras são claras e obrigatórias para que o homem possa estar debaixo da Glória de Deus e sobreviver.

Ao sacerdote casado, após a relação sexual, o sacerdote somente poderá se apresentar debaixo da Glória de Deus, depois do pôr-do-sol, que é quando o seu corpo estará automaticamente purificado.

Se o sacerdote estiver contato com um morto, entrar em cemitério, ou se relacionar com a esposa no período em que essa esteja menstruada, terá que ficar afastado da Glória de Deus por 7 dias.

Ao sacerdote casado, é determinado não ter relações por 3 dias antes da Santa Ceia. Após o ritual, a vida volta ao normal.

Quanto a mulher, após o parto, só poderá ficar debaixo da Glória de Deus, depois de completado 40 dias, quando então deve levar à criança ao templo para ser apresentada ao Senhor.

E no período da menstruação, só poderá ficar debaixo da Glória de Deus 7 dias após o término da menstruação.

A desobediência a essas regras acontece duas coisas: ou o Senhor se afasta da igreja para não haver mortes, ou, a morte acontece de forma surpreendente e trágica.

A verdade é que o Senhor não deseja a morte do homem, mas a Glória de Deus é imutável, e estar debaixo dela sem o devido cuidado, o resultado é a morte. É a mesma coisa que entrar em um lugar radioativo. A radiação está lá, e mata, mas se entrar, obedecendo às regras, com os trajes devido, instrumentos adequados e respeito ao tempo de permanência no local, sobrevive. A Glória de Deus é nada mais nada menos que uma poderosíssima radiação. Hiroshima e Nagasaki que o diga.

Link :/noticias.gospelmais.com.br/pastora-comete-suicidio-quarto-dezembro-94659.html

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s