Mais desemprego: Editora Abril já iniciou demissão em massa.

Por Poder360 – Editado p/Cimberley Cáspio

Sede da editora Abril, que edita a revista Veja

 

A Editora Abril começou a demitir centenas de funcionários nesta 2ª feira (6.ago.2018). Números preliminares indicam que serão cerca de 500 cortes até esta 4ª feira (8.ago). Destes, 171 são jornalistas. Na revista Veja, o carro-chefe da empresa, a previsão é de que saiam 30 dos atuais 80 jornalistas.

Pelo menos 10 títulos da Editora devem ser fechados. Segundo o site Meio & Mensagem, as revistas CosmopolitanElleBoa FormaVIPViagem e TurismoMundo EstranhoArquiteturaCasa ClaudiaMinha Casa e Bebe.com serão encerrados.

O SJSP (Sindicato dos Jornalistas de São Paulo) divulgou nota de repúdio à nova leva de demissões em massa da editora “sem qualquer diálogo”“A necessidade de ‘ajustes’ propagada pelos novos diretores da Abril não justifica gerar desemprego, demitindo centenas de profissionais e comprometendo a qualidade do jornalismo em nome da lucratividade”, diz a manifestação.

A nota informa ainda que a direção do sindicato está na sede da editora desde o início da manhã desta 2ª para “prestar apoio aos demitidos e que vai tomar todas as medidas necessárias para reverter esse quadro”.

Nota do Grupo Abril afirma que as mudanças têm o “objetivo de garantir a saúde operacional em 1 ambiente de profundas transformações tecnológicas” e reafirmou seu “compromisso de manter vivo o jornalismo de qualidade”.

Os recursos humanos e técnicos serão aplicados nas outras revistas, como a VejaExameQuatro RodasSuperinteressanteCapricho e Cláudia. Estas “somam audiência qualificada de 125 milhões de visitantes únicos por mês e 5,2 milhões de circulação nas versões impressa e digital por mês, além de centenas de eventos”.

Ao final, agradeceu aos funcionários demitidos. “Aos profissionais que atuaram nos títulos que estão sendo descontinuados, nosso agradecimento pela dedicação e pelo profissionalismo.”

PREJUÍZO CONSTANTE

A Abril Comunicações S.A. registrou 1 prejuízo consolidado de R$ 331,6 milhões em 2017. O valor é 140% maior do que os R$ 137,8 milhões de prejuízo apurados em 2016. O balanço da editora foi divulgado em 30 de abril de 2018.

A empresa fechou 2017 com receita líquida de R$ 977,7 milhões, queda de 1,96% na comparação com 2016 (R$ 997,3 milhões).

Já as despesas consolidadas da companhia em 2017 foram de R$ 1,14 bilhão, recuo de 8,37%. De acordo com o balanço, a queda nas despesas foi influenciada pela redução na estrutura operacional da companhia.

Na tentativa de acertar suas contas, a Abril negociou com seus fornecedores para alterar prazos de pagamentos. No fim de 2017, a companhia somava dívidas de R$ 177,7 milhões com fornecedores nacionais e R$ 26,8 milhões com estrangeiros. Somadas a outras contas como aluguéis a pagar (R$ 14 milhões) e publicidade (R$ 67 milhões), o total de débitos era de R$ 415,6 milhões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s