O obscuro e secreto “mercado de derivativos”, onde bancos faturam bilhões com a miséria humana.

Por Jan Deir Weir – medium.com – Editado p/Cimberley Cáspio

Em 1929, a mídia apelidou os banqueiros de “milionários de colisão no mercado”.

[Imagem: 43574379_303.jpg]

Em 2008, gerentes de dinheiro habilidosos fizeram bilhões. A mídia ignorou esse fenômeno perturbador.

O mais bem sucedido de todos, John Paulson, ganhou US $ 20 bilhões na crise de 2008, e foi homenageado com seu nome em um prédio no campus de Harvard enquanto milhões perderam suas casas.

Na crise de 2008, todos os grandes bancos, cerca de 18 no total, se declararam culpados por fraude. O Departamento de Justiça ajudou a minimizar a seriedade dando aos bancos acordos de não-acusação em troca de multas. A grande mídia ajudou a obscurecer a cobertura das admissões de culpa.

Basicamente, os bancos conseguiram a maior fraude da história – provavelmente da melhor parte dos US $ 7 bilhões de dólares – que foi mantida longe do público. E quando dito, o público sacode os ombros em descrença. Isso não poderia ter acontecido. É inacreditável!

O que acontece na escuridão do sistema financeiro?

Começa assim: os economistas são convidados para as salas de diretoria do banco para dar palestras pagas em excesso por restaurantes de 5 estrelas. Os advogados são convidados para as salas dos fundos – portanto, a vasta diferença de perspectiva.

Mesmo quem está acostumado a ganhar milhões ainda não compreende um comércio obscuro e secreto denominado mercado de derivativos onde circula um tráfego de mais de mais de 596 trilhões de dólares de ganhos em cima da miséria popular.

Você faz um seguro da casa do seu vizinho, espalha gasolina, toca fogo, e depois é só esperar para faturar em cima da desgraça alheia. Simples assim.

Nesse mercado, banqueiros e servidores especiais do governo desfrutam de uma milionária condição de vida mesmo depois da aposentadoria.

Isso é quase 10 vezes o tamanho da economia mundial. Uma rodovia sem limites de velocidade, linhas divisórias ou, melhor de tudo, bônus bancários, sem policia e nada que possa atrapalhar.

Não é um roteiro de Hollywood, mas uma história real sobre Wall Street, onde você sabe quem ganhou e quem perdeu. Não passa na cabeça de nenhum mortal, mesmo sendo rico, um mercado como esse, onde os ganhos além de milionários são livres de tudo, eu disse tudo.

Como os banqueiros conseguiram esse poder?

Nesse macabro mercado, você precisa de bancos que possam pagar (com ajuda do contribuinte, se necessário); e banqueiros que manterão seus bônus com a venda de instrumentos tóxicos. Então, apesar do colapso total do sistema bancário, os banqueiros serão motivados a fazer os negócios novamente. O mais importante é que os banqueiros não podem ir para a prisão como fizeram em 1929 e depois da crise de S & L nos anos 80 (quase mil banqueiros foram presos naquele desastre).

Como os banqueiros alcançaram todos os objetivos de escapar da prisão e manter seu alto salário? 

Foi preciso um planejamento cuidadoso e uma propaganda eficaz que até os democratas (especialmente) bem-intencionados acreditariam. Sua grande mentira é a máxima bem aceita: as melhores pessoas para regular Wall Street são as pessoas de Wall Street.

Uma vez que esse ditado se tornou bem entrincheirado como um truísmo, o palco estava montado.

Os banqueiros sabiam que o poder real sobre os bancos não era com os políticos. Políticos vêm e vão. Quase nenhum deles tem uma boa compreensão do sistema bancário – nem acham importante aprender sobre isso. Eles dependem de conselheiros. Esses consultores são principalmente do departamento do Tesouro. Então eles começaram a controlar o departamento.

Às vezes, os políticos ouvem os principais economistas. Então os banqueiros também conseguiram controlá-los.

O procurador-geral decide processar judicialmente os banqueiros e buscar sentenças de prisão. Então os banqueiros assumiram o controle desse departamento. Qualquer dúvida de seu sucesso, veja quantos banqueiros foram presos em 2008 em comparação com 1980.

Os ex-chefes do Fed obtêm posições lucrativas com uma firma de investimento de Wall Street na aposentadoria. Eles devem ser gentis com seus futuros amigos na rua.

Quando se aposentam, os políticos estão cada vez mais ocupando posições no conselho de administração e se tornando lobistas das empresas americanas. O que aconteceu com os patrocinadores de Dodd-Frank? Barney Frank agora faz parte do conselho de diretores de um banco de Nova York (The Signature Bank) com interesse na desregulamentação fiscal, e Chris Dodd tornou-se lobista da Motion Picture Association.

A legislação para delatores é ineficaz.

Esse é o estado da América hoje – e nenhum político tem um plano viável para arrancar o controle da Wall Street.

Se os métodos de Wall Street são entendidos, as soluções para combatê-los são surpreendentemente simples. Mas implementá-los levaria um público votante desperto com a determinação de lutar contra o poder unido da Rua.

https://medium.com/rantt/how-bankers-mad…7bba552a9c

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s