Suprema Corte argentina confirma a prisão de Cristina Kirchner pelo pacto com o Irã.

Por ICNDiario


A Justiça vai pedir ao Congresso a imunidade de Cristina Kirchner (Foto CIJ)

A Corte Suprema de Justiça da Argentina, por unanimidade, negou provimento a dois recursos de apelação federal extraordinária, apresentados pela defesa de Cristina Fernández de Kirchner e Oscar Parrilli.

Foi no contexto de um caso em que os alegados crimes decorrentes da elaboração e assinatura do Memorando de Entendimento entre o Governo da Argentina eo Governo da República Islâmica do Irã sobre a investigação do ataque à sede da AMIA.

Sala II da Câmara Nacional de Apelações Criminais e correções Federal tinha confirmado os processos de, entre outros, Fernandez de Kirchner e Parrilli, abuso de autoridade e ocultação agravada. Na mesma resolução, o tribunal confirmou a prisão preventiva imposta a Fernández de Kirchner, cuja execução efetiva estava subordinada ao resultado do processo de impeachment exigido pelo juiz investigador.

Como resultado, eles interpuseram recursos extraordinários, cujas rejeições deram origem à intervenção da Suprema Corte.

O Tribunal Maximus, com a assinatura de Carlos Rosenkrantz, Elena Highton de Nolasco, Juan Carlos Maqueda, Ricardo Lorenzetti e Horacio Rosatti, rejeitou a denúncia com o fundamento de que não são dirigidos contra um final ou comparável ao julgamento (nos termos do artigo 14 da Lei 48).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s