Martinho da Vila em terras lusitanas.

Por Jornal do Brasil

Fã de Portugal e visitante habitual do país, Martinho da Vila, 81, traduziu o carinho pela cultura lusitana em uma faixa de seu mais novo álbum. Em vez do samba, porém, o artista decidiu se aventurar no portuguesíssimo fado.

O sambista já havia gravado outras canções deste gênero musical, mas esta é a primeira vez que ele se arrisca na composição de um fado para chamar de seu.

Macaque in the trees
Martinho da Vila (Foto: Reprodução)

Em “Fado das Perguntas”, Martinho da Vila conta a rotina de um brasileiro que vive em Portugal, com direito às dores e às delícias de se viver no país europeu.

“Fiz esse fado imaginando a vida de um brasileiro em Portugal. Retrata um pouco a situação dele no país: está gostanto de tudo, mas estranha um pouco o frio. Está feliz, mas ele sente saudades da família, dos amigos que ficaram lá. Aliás, fado é sobre saudades no geral”, conta.

Questionado sobre a experiência de trocar o samba pelo fado, Martinho da Vila solta uma longa risada.

“Na música não dá para dizer o que é melhor ou pior. Tudo tem a ver com o nosso estado de espírito. Se estamos em um estado reflexivo, queremos mais música para pensar. Se estamos numa fase meio devagar, meio down, as músicas românticas acabam nos atingindo mais. Se estamos num estado de alegria total, só queremos saber de música alegre”, sugere.

Martinho também diz ter aproveitado para incorporar na letra referências a diversas coisas que ele aprecia em Portugal, como vinho e a comida.

“Eu vim aqui muitas vezes, andei o país de norte a Sul. Eu gosto muito de Portugal, sinto até falta. Quando não venho para fazer espetáculos, gosto de vir só por vir”, diz ele, que apresentará seu fado ao público lusitano pela primeira vez nesta semana.

Os concertos no Porto (10/05) e em Lisboa (12/05) marcam uma turnê comemorativa de seus 50 anos de carreira e e divulgação de seu trabalho mais recente, “Bandeira da Fé” (Sony Music).

Confira a letra de “Fado das Perguntas”:

Lá fora tanto frio, cá na tasca quase nem
Estou só e saúdam-me: tudo bem?
O que desejas
Eu disfarço pedindo um bagaço
Joaquimzinhos
Amêijoas
Pasteizinhos de bacalhau
Pastéis de bacalhau
Pastéis de bacalhau
Pastéis de bacalhau

Depois de um tinho vinho
Da serra um queijinho
Tudo bom Nada mal
Tudo bom Nada mal
Tudo bom Nada mal
Tudo bom Nada mal

Que desejo mais ? Eu pergunto-me
Que almejo mais ? Eu respondo-me
Só tu meu sabor, meu calor
Meu distante amor
Só tu meu sabor, meu calor
Meu distante amor

Folhapress

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s