Relatório da situação humanitária do UNICEF no Congo, Novembro de 2018: o surto de ebola está em curso Nordeste, do Norte de Kivu e Ituri se tornando o maior surto de ebola do país, e cada vez mais difícil de combater.

UNICEF Logo

A epidemia do vírus ebola já causou a morte de 1.223 pessoas na República Democrática do Congo (RDC), 10 meses segundo o Ministério da Saúde do país, revelou hoje a Lusa. Em apenas um dia, houve mais cinco mortos confirmados, face ao último balanço, feito no dia 19, em que o número de mortos era 1.218.

Desde o início da epidemia, declarada em Agosto de 2018, o número de infectados é de 1.847, dos quais 1.135 foram confirmados laboratorialmente, 88 são suspeitos, enquanto 487 pessoas já foram curadas.

De acordo com o Ministério da Saúde da RDC, há 292 casos suspeitos sob investigação e cinco novos confirmados em várias localidades da província de Kivu do Norte: três fora dos centros de tratamento, dois em Butembo e um em Mussienene.

Dos cinco mortos confirmados, três foram fora dos centros de tratamento — dois em Butembo e um em Mussienene — e ainda dois no centro de tratamento de Beni. Segundo a mesma fonte, já houve três pessoas curadas nos centros de tratamentos: duas em Butembo e uma em Katwa. Um funcionário da saúde em Masereka, vacinado, é um dos casos confirmados com o vírus do ebola.

O número total de casos confirmados/prováveis entre profissionais da Saúde é de 104, o que equivale a 5,6 por cento de todos os casos confirmados e prováveis, incluindo 34 mortos.

Jornal de Angola / 23-05-2019

Fotografia: DR

A resposta da UNICEF ao surto de ebola em Kivu do Norte e Ituri pode ser encontrada quinzenalmente no último relatório de situação do Ebola: https://www.unicef.org/appeals/drc_sitreps.html

• Enquanto o UNICEF está a impulsionar uma resposta multissetorial nas regiões do Kasai e do Kasai Central para apoiar os retornos em massa de congoleses de Angola, o UNICEF conduziu uma avaliação multisetorial de várias agências na região fronteiriça do Kwango. Com o apoio dos parceiros, o UNICEF também está organizando uma resposta de emergência nesta área.

• A campanha para as eleições presidenciais e legislativas de 30 de dezembro de 2018 na República Democrática do Congo teve início oficialmente na quinta-feira, 22 de novembro de 2018, após a meia-noite, por um período de 30 dias.

SITUAÇÃO EM NÚMEROS

4,49 milhões de pessoas deslocadas internamente (IDPs) (OCHA, abril de 2018)

7.900.000 crianças que precisam de assistência humanitária (OCHA, jan.2018)

2.000.000 crianças sofrem de desnutrição aguda grave (DRC Cluster Nutrition, maio de 2018)

24.550 casos de cólera relatados desde janeiro de 2018 (Ministério da Saúde, setembro de 2018)

UNICEF apela 2018 US $ 268 milhões de resposta da UNICEF aos parceiros

41% dos fundos necessários disponíveis

Visão Geral da Situação e Necessidades Humanitárias

• O atual contexto da RDC é dominado por diferentes perfis de ameaças; a primeira categoria é conflito armado com um nível proeminente de consequências humanitárias em Kivu do Norte, mais especificamente Beni e áreas circunvizinhas, na província de Tanganyika onde persistem conflitos armados entre as FARDC e grupos armados, o contínuo conflito intercomunitário nas províncias de Kasai, o surto de ébola em curso Nordeste do Norte Kivu e Ituri com o número de casos confirmados superiores a 300, agora está se tornando o maior surto de Ebola do país, e cada vez mais difícil antecipar o fim do mesmo. Finalmente, as próximas eleições de 30 de dezembro e as campanhas eleitorais que começaram em 22 de novembro estão trazendo uma grande quantidade de tensões em toda a região, especialmente nas principais cidades.

• Além disso, a situação no Kasai tornou-se mais complexa, com mais de 669.8201 congoleses que regressaram de Angola, 33% dos quais são crianças que atravessaram a fronteira em condições difíceis e necessitam de assistência humanitária aguda. Como resultado dos deslocamentos da população congolesa de Angola, muitas crianças não identificadas e separadas (UASC) foram registradas, mas sua identificação ainda está em andamento. Até à data, 240 UASC foram identificados em Luambo, 541 em Kamako e 350 em Kwango. São implementadas atividades de identificação e rastreamento familiar e assistência temporária no cuidado familiar adotivo. Atividades psicossociais através de espaços móveis favoráveis ​​à criança também estão sendo iniciadas em algumas áreas de retorno

• Em novembro de 2018, um total de 66 zonas de saúde, das 463 que relataram desnutrição, tinham pelo menos quatro dos cinco indicadores padrão acima do limiar. As 66 Zonas de Saúde estão em 14 Províncias do país e podem ser categorizadas em dois grupos:

✓ 3 zonas de saúde que nunca tinham aparecido até agora em alerta de desnutrição anteriormente

✓ 63 Zonas de Saúde que foram “desnutrição” declaradas em alerta pelo menos uma vez em boletins anteriores.

• Durante o mês de novembro, 2.698 casos de cólera foram notificados em 14 províncias, principalmente em Tanganica, Kasai Oriental, Kivu do Sul, Haut Katanga e Lomami, adicionando 81,7% do total de casos. Seguido por Sankuru, Kongo Central, Nord Kivu e Haut Lomami com 14,8% dos casos.

• Durante o período do relatório, 4.455 casos e 74 mortes por sarampo foram registrados nas províncias de Haut Katanga, Haut Lomami e Lualaba.

• Surto de ebola: em 30 de novembro, um total de 434 casos de ebola foram registrados nas províncias de Kivu do Norte e Ituri, dos quais 386 são casos confirmados. 201 mortes foram registradas nas dez zonas de saúde afetadas. A resposta da UNICEF pode ser encontrada aqui: https://www.unicef.org/appeals/drc_sitreps.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s