Empresa de mineração canadense está ansiosa pela autorização federal para extrair 60 toneladas de ouro em terra indígena.

Por Christian Plumb e Jake Spring – Mining.com

Brasil permite que mineração aconteça na região amazônica do tamanho da Suíça
A floresta amazônica, Brasil. Imagem de CIFOR | Flickr

A Belo Sun Mining Corp disse hoje, sexta-feira, que conquistou uma vitória legal em seu esforço para minar o maior depósito de ouro não explorado do país na floresta amazônica, que atraiu críticas de ambientalistas e defensores indígenas.

Mas o Ministério Público que está tentando bloquear a mina discordou dessa interpretação da decisão.

Felicio Pontes, promotor federal do caso, disse que o tribunal de apelações simplesmente rejeitou um pedido de julgamento preliminar e que os méritos do caso ainda não foram julgados.

Nenhum trabalho pode prosseguir com a mina, disse ele, prevendo que o tribunal decidirá no caso até novembro.

“Tentamos forçar uma decisão preliminar do tribunal… mas disse que não, é melhor esperar pelo julgamento do apelo”, disse Pontes.

“Esta decisão não mudou nada, a situação é estável.”

Um representante da Belo Sun reconheceu que “a decisão é apenas temporária”.

A Belo Sun disse em sua declaração que a decisão do tribunal de apelações indicava que o estado do Pará era a autoridade apropriada para conceder uma licença ambiental para o projeto. Os promotores argumentaram que a mina precisava de uma licença do órgão ambiental federal Ibama, ganhando um julgamento inicial em um tribunal inferior.

A mineradora canadense já recebeu licenciamento estadual para o projeto, adjacente à enorme represa hidrelétrica de Belo Monte, em um afluente do rio Amazonas.

Se os tribunais decidirem que a Belo Sun deve buscar uma licença federal, isso provavelmente atrasaria o projeto por anos.

As ações da Belo Sun caíram 4,1% na bolsa de valores de Toronto, acabando com os ganhos iniciais.

O mineiro separadamente ainda deve entregar um novo estudo sobre o impacto nas comunidades indígenas vizinhas do projeto

O Instituto Socioambiental, sem fins lucrativos e que está documentando o impacto da barragem de Belo Monte em tribos próximas, alertou que os produtos químicos e resíduos de mineração envolvidos no projeto de Belo Sun representam sérios riscos para o modo de vida dos nativos.

A proposta da mineradora em Volta Grande do Xingu tem 3,8 milhões de onças de ouro em reservas provadas e prováveis ​​e é o maior depósito de ouro não desenvolvido do país, segundo o site da companhia.

A empresa estima que a mina produziria 260.000 onças de ouro anualmente nos primeiros 10 anos de sua vida útil de aproximadamente 17 anos. Isso equivale a 5,2% da produção anual de ouro do Brasil, de acordo com as últimas estatísticas do regulador de mineração ANM. 

http://www.mining.com/web/belo-sun-touts-brazil-court-ruling-clearing-way-for-gold-mine/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s