A fim de apagar rastros de operações secretas em apoio ao Estado Islâmico, França explode fábrica de cimento da Lafarge-Holcim na Síria.

Por Rede Voltaire

[Imagem: arton207967-ef11f.jpg]

Em 16 de outubro de 2019, a Coalizão Internacional incendiou a fábrica de cimento Lafarge-Holcim em Jalabiyeh (na fronteira turca, ao norte de Aleppo) antes que o Exército Árabe Sírio a possuísse.

Assim desaparecem os traços de uma operação secreta de primeira importância.

A fábrica entregou 6 milhões de toneladas de cimento aos jihadistas para construir fortificações subterrâneas e poder travar uma guerra de posição, de acordo com a estratégia descrita por Abu Musab “The Syrian” em seu livro 2004, The Management of the barbárie . Posteriormente, esta fábrica abrigou as forças especiais norueguesas e francesas que dispararam antes de fugir.

Em 2016, um site turco, Zaman Al-Wasl , publicou e-mails dos executivos da Lafarge-Holcim entre si, atestando que a multinacional tinha ligações com o Estado Islâmico. Uma investigação foi aberta na França, a pedido de funcionários sírios que achavam que haviam sido prejudicados. O jornal Le Monde publicou sua versão dos fatos e escondeu:

– o vínculo da multinacional com a CIA em várias operações, incluindo o transporte de armas durante a guerra contra o Iraque;
– O relacionamento da Lafarge-Holcim com a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton (ex-diretora da empresa);
– o vínculo da multinacional com a DGSE durante a guerra contra a Síria;
– e a construção de infraestrutura jihadista na Síria em apoio ao Estado Islâmico

A aviação russa, que tem bombas penetrantes, destruiu por seis meses essas fortificações – a maior em um campo de batalha desde a Segunda Guerra Mundial – permitindo que o Exército Árabe Sírio libertasse o seu território.

Em de 17 de outubro, o porta-voz da Coalizão Internacional contra o Estado Islâmico, coronel Myles B. Caggins, deixou claro que dois aviões haviam atingido a fábrica de cimento da Lafarge-Holcim, com o objetivo de apagar rastros e limpar a França de suas responsabilidades. Durante “a faxina secreta”, foi atingido um depósito de munição abandonado pelos franceses. No local, é relatado que a fábrica de cimento queimou e que explosões foram ouvidas e o fogo foi redobrado. Portanto, este cenário é possível sem invalidar nossa narração. Seria interessante conhecer a nacionalidade dos aviões que atingiram a fábrica de cimento durante o incêndio.

https://www.voltairenet.org/article207967.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s