Um país que não tem prisão perpétua e pena de morte contra conspiração e terrorismo, é um país fadado ao desastre.

Por Cimberley Cáspio

Paul von Hindenburg – Presidente da Alemanha antes da ascensão de Hitler

Em 1923, o governo alemão prendeu Hitler e comparsas por conspiração contra o Estado Alemão. Se tivessem sidos condenados à morte e executados enquanto estavam sob a custódia do Estado, milhões de vidas no planeta seriam salvas.

Claro que há riscos de injustiça, porém a injustiça pode ser corrigida cedo ou tarde, diferente de um desastre de proporções bíblicas praticado por um governo enlouquecido como foi o governo nazista de Hitler. E depois de ter arrasado com o país, fugiu para um buraco onde se escondeu até tomar a decisão de se matar; quer dizer, mandou milhões para à morte, mas quando viu que ia ser capturado pelos russos, não encarou a morte e fugiu para o buraco. Tipo Saddan Hussein que também depois de matar milhares, quando sentiu que iria ser capturado, do mesmo modo se escondeu em um buraco, só que deu azar e foi pego.

Podemos errar e matar um inocente? Sim, porém a Bíblia tem a solução para isso. Ninguém pode ser julgado se não tiver no mínimo duas testemunhas de acusação, e essas testemunhas serão responsáveis pelas consequências de suas palavras no tribunal. O Estado não pode ser responsabilizado por erro de julgamento, o que faz com que toda carga de responsabilidade quanto o que acontecer posteriormente a sentença, seja colocada sobre as testemunhas de acusação. E se mais tarde o Estado chegar a conclusão que quem foi executado era inocente, as testemunhas de acusação do processo, devem ser presas e sofrer a mesma sentença proferida contra aquele que na verdade era inocente. As testemunhas que mentiram serão também executadas.

Porém na maior parte as execuções contra a vida do criminoso proferidas nos mais diversos tribunais do mundo contemporâneo, principalmente em países desenvolvidos, não há menção de injustiça sobre qualquer inocente.

Prisão perpétua e pena de morte para conspiração e terrorismo contra o estado de direito de uma nação, é o mal necessário e meio pelo qual a nação precisa se proteger quanto a uma eventual surpresa futura terrível como aconteceu com a Alemanha, que por não executar Hitler e seus comparsas por conspiração, traição e terrorismo, quando presos, abriu as portas para à 2ª guerra mundial. Um erro que tribunal nenhum do mundo pode cometer novamente.

Não só Hitler e toda sua cúpula foram responsáveis pela eclosão da 2ª guerra mundial como também os políticos e o governo alemão do presidente Paul von Hindenburg antecedente a sua ascensão. A consequência é que não obtiveram o controle sobre a fera, que escapou da prisão e fez o que fez. Uma grande irresponsabilidade política e de Estado.

E que todas as nações se mirem nesse tema, para que não só estejam protegidas contra uma autodestruição advinda de uma loucura de governo, quanto também, não sejam causa e origem de um desastre que alcance países vizinhos, e o mundo.

Prisão perpétua e pena de morte também devem ser proferidas contra crimes de estupro, tráfico humano e de entorpecentes, e assassinatos por motivo torpe; e deixar tais elementos vivos, é alimentar monstros que podem nos devorar e causar desastres fora de nossas fronteiras, e de quem será a responsabilidade? De quem deveria dar fim ao problema e não deu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s