“Há rumores de que algumas companhias aéreas poderão mudar a marca do Max como 737-8 ou Boeing 737-9 – o que é diferente do Boeing 737-800 ou 737-900 não Max. Isso é algo a se preocupar.”

Por Ben Popken – editado p/Cimberley Cáspio

Boeing diz confiar no 737 Max, mas suspende operações do modelo | VEJA

O 737 Max da Boeing foi liberado para decolagem pela Federal Aviation Administration 20 meses depois de ter aterrado após dois acidentes que mataram todos a bordo – mas alguns passageiros dizem que ainda estão relutantes em embarcar na polêmica aeronave.

Isso está forçando as companhias aéreas a garantir aos passageiros que o jato é seguro – ao mesmo tempo que oferece trocas gratuitas de passagens caso não se sintam confortáveis ​​voando no Max.

“Se nossos pilotos, junto com a APA, FAA e nossas equipes de segurança estão confiantes de que a aeronave está segura, estamos confiantes em seu retorno ao serviço”, escreveu David Seymour, diretor de operações da American Airlines, em uma carta assinada por cinco outros altos executivos da empresa. A Allied Pilots Association, ou APA, é o sindicato que representa os pilotos da American Airlines.

Mas, acrescentou Seymour, “se um cliente não quiser voar no 737 Max, ele não precisará”.

As companhias aéreas afirmam que os clientes podem olhar seus itinerários para ver em que tipo de aeronave estão programados.

“Por enquanto, a maioria das companhias aéreas que possuem o avião o mostrará como Boeing 737 Max 8 ou Max 9 no momento da reserva”, disse Brian Kelly, fundador e CEO do Points Guy, um site de conselhos de viagens. “Tem havido rumores de que algumas companhias aéreas poderiam mudar a marca do Max como 737-8 ou Boeing 737-9 – o que é diferente do Boeing 737-800 ou 737-900 não Max. Isso é algo a se preocupar.”

Conforme as datas de partida se aproximam, os passageiros podem solicitar voos diferentes, e as alterações de tarifas ou taxas de passagem serão dispensadas, disseram as companhias aéreas. Eles também podem solicitar reembolso de bilhetes reembolsáveis. Os bilhetes não reembolsáveis ​​podem ser cancelados e convertidos em créditos para voos futuros.

No entanto, as trocas de aeronaves podem ocorrer no próprio dia da viagem – portanto, ainda existe a chance de um passageiro que optou por não voar em um Max descobrir que o jato é o único disponível.

Para passageiros que se preocupam com a segurança de um jato que está fora de operação há meses, há várias etapas para retornar um voo ao serviço. Os aviões terão que ser retirados do armazenamento, verificações de manutenção deverão ser realizadas, todos os aviões deverão passar por voos de prontidão, aprovações da FAA deverão ser obtidas e os pilotos terão que passar por duas horas adicionais de treinamento no simulador.

“Colocar um jato aterrado de volta em serviço envolve uma longa lista de ações de manutenção, inspeções e testes operacionais de voo, além de treinar os pilotos em software atualizado e procedimentos de emergência aprovados pela FAA durante a recertificação Max”, disse o piloto comercial Marc Himelhoch.

“Provavelmente levará alguns meses, no mínimo, para a maioria das companhias aéreas treinar seus pilotos e realizar toda a logística, manutenção e voos de teste operacionais necessários para colocar os aviões de volta em serviço de receita”, disse ele.

A Boeing disse que “trabalhou em estreita colaboração com as companhias aéreas, fornecendo-lhes recomendações detalhadas sobre armazenamento de longo prazo e garantindo que suas informações fossem parte do esforço para retornar os aviões ao serviço com segurança”.

Mas reconquistar a confiança do cliente pode ser mais difícil do que fazer uma reengenharia completa de um jato, como fez a Boeing .

“A verdadeira questão agora para as companhias aéreas é como eles reintroduzem em seus sistemas de uma maneira que constrói a confiança do público que viaja”, disse o especialista em aviação Mark Dombroff, sócio do escritório de advocacia Fox Rothschild, por e-mail.

“A aeronave é uma das aeronaves mais microscopicamente examinadas na história da aviação”, disse Dombroff. “Isso incluiu o foco do fabricante, a FAA, bem como de autoridades de aviação não americanas e da indústria aérea.”

https://www.nbcnews.com/business/consumer/airlines-will-let-737-max-passengers-change-their-tickets-free-n1248175?utm_campaign=website&utm_source=sendgrid.com&utm_medium=email

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s