Diretor da OMS acusado de tráfico de armas.

Por Rede Voltaire

O Exército etíope acusou o Diretor-Geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom Ghebreyesus, de ser o padrinho da guerra no Tigré.

Tedros Adhanom Ghebreyesus é um antigo Ministro da Saúde (2005-12), depois Ministro dos Negócios Estrangeiros (2012-16) etíope. É um dirigente da Frente de Libertação do Povo do Tigré (FLPT); partido que abandonou as suas referências de marxismo-leninismo desde a dissolução da URSS.

O FLPT relançou a rebelião, em 4 de Novembro de 2020. O Exército etíope iniciou imediatamente uma operação de pacificação. O conflito baseia-se, na verdade, numa rivalidade tribal entre a etnia Oromo (da qual o Primeiro-Ministro e Prêmio Nobel da Paz, Abiy Ahmed, faz parte) e os Tigrinos.

Segundo o Chefe de Estado-Maior etíope, o General Berhanu, Tedros Adhanom Ghebreyesus empreendeu providências junto de diversos Estados africanos para armar a rebelião. Ele obteve ajuda do Egito para aprovisionar os combatentes da Frente de Libertação do Povo Tigré.

https://www.voltairenet.org/article211826.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s